Andresa Espindula
Não me ame assim

Querido diário,

Querido diário,

Querido diário

Já faz alguns dias que eu o Arthur estamos conversando e é engraçado como nos damos bem, às vezes até parece que forçamos as coincidências, mas compartilhamos os mesmos gostos musicais, gostamos de algumas comidas iguais, isso que somos de países totalmente diferentes, pensamos iguais sobre amor e sobre relacionamento.

Ele é engraçado e me faz rir o tempo todo, e acredite querido diário, já brigamos, no entanto voltamos a conversar quinze minutos depois e foi ali que ele disse pela primeira vez que não consegue ficar mais sem conversar comigo, devo deixar aqui registrado  que ele é o motivo de eu não estar mais escrevendo todos os dias aqui, de estar atrasada  no emprego quase toda manhã e de ter cancelado minha academia, porque os dias que fui nem conseguia terminar uma serie toda, porque a cada mensagem dele eu parava  o exercício para responde-lo, e isso é em todas as partes do dia.

Conversamos desde a hora que acordamos até a hora que vamos dormir e os assuntos parecem nunca terem fim. Em um único dia falamos desde os problemas do mundo até contamos as piadas mais sem graças possíveis, ele me conta coisas de quando era pequeno e eu faço o mesmo, e se torna curioso o quão nossa cultura é diferente.  Ele já viajou por outros países, sabe o porquê de cada coisa e parece conhecer todas as línguas do mundo, é inteligente, sarcástico, lindo, sexy, e sim, eu estou completamente apaixonada desde a primeira vez que o vi.

Ainda não contei a parte mais forte, não tão forte, ou talvez seja ainda não consegui distinguir, mas ele gosta muito de falar sobre sexo, conversar mesmo, claro que às vezes ele pergunta como eu gosto, como eu faço, e eu nunca respondo, porque para mim conversar de sexo é super tranquilo, desde que as perguntas não sejam sobre mim, primeiro porque sinto uma vergonha gigante, segundo, porque sou virgem e não sei como explicar isso, sabe, faz uma semana mais ou menos que conversamos e apesar da enorme intimidade que temos, (deixa  eu deixar claro aqui que ele me chama de –darling- DARLING! Isso é muito fofo) não consigo ainda contar isso para ele.

Tenho outra novidade, diário, ele vem me buscar amanhã para gente sair, ele perguntou se eu me importo de quando a gente se ver, ele me beijar de língua e tudo, sim, ele perguntou exatamente assim. Ah! Não pense que a gente não se veja aqui na rua, a gente se “tomba” quase todo dia, mas eu sinto tanta vergonha que mau olho ele, mas consigo perceber o olhar dele em cima de mim o tempo todo, e quando digo em cima, é tipo, quase me engolindo com o olho.  Eu gosto quando sinto o olhar dele em cima de mim, quando o sinto, me “devorando” com os olhos, meu coração acelera e minha perna treme, ele é intenso e eu adoro a intensidade com que a gente conversa e com que ele me deseja.  E por causa desta intensidade já estou nervosa, ansiosa e não consigo pensar em outra coisa se não nosso encontro de amanhã.

Já escolhi a roupa porque sou prática e decidida, mentira diário, já escolhi e desescolhi (nem sei se essa palavra existe) um milhão de vezes, ta, um milhão é exagero, mas umas vinte vezes eu já mudei de opinião, a última escolha é uma blusa preta e uma calça jeans e meu tênis de sempre, não vamos a nenhum restaurante chic ou andar de limusine, vamos dar uma volta de bicicleta e vamos a um centro de tiro ao alvo. Nada romântico, mas muito a nossa cara. Ele disse que passa aqui às 17h.

Querido amigo, preciso ir, ele está me mandando mensagens de boa noite e eu preciso dormir já que tentar trabalhar ou estudar está fora de cogitação. Amanhã depois do “encontro” eu volto aqui para contar como foi.  Principalmente, como foi o beijo dele, que ainda nem provei e já me faz sentir calores incontroláveis e arrepia até a minha alma… Até…

 Anne – 27.04.2017 –  00:10min – Terça feira.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *